Soraya Jorge (RJ) no Coletivo

Soraya Jorge (RJ) no Coletivo

Categories: ,   By ,   0 Comments,  

Durante dois dias tivemos o prazer de receber Soraya Jorge (RJ) no Coletivo Lugar Comum. Ela trabalhou conosco alguns princípios da técnica “Movimento Autêntico”.

Agradecemos a Daniela Santos, da Faculdade Angel Vianna por ter possibilitado este encontro e a Soraya, pelas trocas e pelo carinho.

large_adriana.fernandes

Projeto “A Voz do Movimento” promove oficina gratuita no Recife

A iniciativa é do Coletivo Lugar Comum, com apoio do FUNCULTURA, e trará para a cidade a artista Adriana Fernandes, musicista, pesquisadora e professora adjunta do Departamento de Artes Cênicas da Universidade Federal da Paraíba

Foram iniciadas nesta segunda (18) as inscrições para a primeira oficina aberta dentro do projeto “A Voz e Movimento”. Os interessados precisam preencher a ficha de inscrição até o dia 25 de fevereiro. A seleção será feita a partir do currículo e carta de intenção.

INSCRIÇÕES NESTE LINK.

A oficina, que é gratuita, acontece de 04 a 07 de março, das 19h às 22h, na sede do grupo artístico Coletivo Lugar Comum, na Rua Madre de Deus, 170, sala 202, no Recife Antigo.

Durante o trabalho de quatro dias, em 12 horas de encontros, o objetivo proposto pela Profa Adriana Fernandes é estimular e sensibilizar bailarinos e atores para a relação corpo-voz-som-movimento, a partir de elementos como a respiração, audição, fonação e cinestesia (veja abaixo informações detalhadas).

Esta é a primeira oficina aberta a ser realizada pelo Coletivo Lugar Comum este ano dentro da proposta do projeto, que trará ainda o ator-pesquisador Carlos Simioni, do LUME Teatro, em agosto.

A pesquisa “A Voz do Movimento”, iniciada em janeiro de 2013, aborda a improvisação como ferramenta para aperfeiçoamento da expressividade do corpo-artista, propondo a integração entre movimento e produção vocal. Ao todo, durante um ano, serão realizadas várias atividades práticas e teóricas sobre a criação em dança a partir da improvisação e da exploração da expressão vocal aliada ao movimento. Além dos encontros semanais reunindo os integrantes do Lugar Comum, o projeto envolve os ensaios abertos e a realização de duas oficinas coletivas como espaços para troca de saberes entre profissionais de várias linguagens, abertas a participantes de outros grupos artísticos em atividade no estado de Pernambuco.

O acompanhamento permanente das atividades, através da produção de registros (textos, fotos, vídeos) pelos bailarinos-pesquisadores do Lugar Comum, podem ser conferidos abertamente no blog avozdomovimento.wordpress.com. Ao final da pesquisa será apresentada uma criação artística assinada pelos integrantes do Coletivo, desenvolvida ao longo do processo com base no tema trabalhado.

A Voz do Movimento: da inquietude, do silêncio, da voz, do movimento, do corpo do agora, agora, momento e ato, som que dança, nasce a inspiração, criação, comunicação, troca, tudo se tocando, entrelaçado, artista e público, se existindo enquanto a arte da improvisação se desenha no inusitado espaço, permitindo outras percepções.

Descrição dos elementos a serem trabalhados na oficina de Adriana Fernandes:

Respiração: compreensão biológica do processo; músculos, ossos e órgãos envolvidos; treinamento dos diversos tipos de respiração em acordo com os diversos estados emocionais e posições corporais;

Audição: compreensão de elementos básicos relacionados aos princípios sonoros: altura, duração, intensidade, timbre; compreensão de elementos básicos de composição sonora; relação corpo e som – paralelo, oposição, semi-oposicão (ou semi-paralelo);

Fonação: compreensão do processo de emissão vocal; utilizando-se dos elementos apreendidos em audição transpor para a voz o “cargo” de emissão sonora; composição vocal-corporal a partir de altura, duração, intensidade e timbre;

Cinestesia: combinação dos elementos trabalhados anteriormente tendo como foco e origem da atividade o movimento corporal; exercícios de criação artística a partir de sugestões dadas pela professora.

Residência com Grupo CoMteMpu’s

Ainda nem terminamos a primeira temporada de Segunda Pele e já estamos nos preparando para participar de um projeto que promete agitar o Recife no mês de Dezembro.

O convite partiu do Grupo Contempu’s – Linguagens do Corpo e faz parte do projeto de manutenção do grupo, aprovado pelo governo da Bahia.

Em Recife, acontecerão duas atividades entre os dias 10 e 15 de Dezembro:

ZeZOU v.3 de 4 – Zonas de Ocupação Urbana

Mini-residência artística em uma zona da cidade de Recife/PE – bairro, praça, rua, ponto de encontro, etc – entre o Grupo CoMteMpu’s e Coletivo Lugar Comum, onde juntos iremos discutir e realizar ações de ocupação artística a partir da tensão entre corpo, dança e espaço urbano. O local preciso de ocupação será decidido pelos grupos, da mesma maneira que as ações da ocupação também serão definidas ao longo de nossa convivência.

Mostra Work in Process

Trata-se de uma apresentação das atuais pesquisas em desenvolvimento do Grupo CoMteMpu’s. Na ocasião também exibiremos a videodança “Ilesos, nos vemos (ou nos vemos ilesos)”, produzido pelo projeto CPOC em Cali, na Colômbia em 2008. Com a exibição desses trabalhos, esperamos poder conversar com artistas locais da cidade sobre a “Continuidade de Trabalhos de Pesquisa Colaborativa em Dança”, onde poderemos trocar nossas experiências de grupo, sobre gestão e pesquisa de linguagem, além de pensar sobre rumos por vir. O Coletivo Lugar Comum deve preparar alguma ação para apresentar na mostra.

Aguardem novidades sobre este projeto em breve aqui no site!

Semana de Cênicas da UFPE

Categories: ,   By ,   0 Comments,  

Imagem

O Coletivo Lugar Comum vai marcar presença na VI Semana de Cênicas que acontece na UFPE entre 05 e 09 de Novembro.

08 e 09 (9h às 12h) – Oficina de voz e movimento com Conrado Falbo

08 (16h) – Jam session de dança (Contato Improvisação)

Todas as atividades são gratuitas e irão acontecer no Centro de Artes e Comunicação da UFPE.

Mais informações no facebook: http://www.facebook.com/semana.cenicas

Apareçam!

Segunda Pele

Segunda Pele

Categories: ,   By ,   0 Comments,  

Novo espetáculo de dança do Coletivo Lugar Comum, com Liana Gesteira, Maria Agrelli e Renata Muniz

Estréia dia 02/11, Sexta-Feira

Casa Mecane  (Av. Visconde de Suassuna, 338, Boa Vista, Recife-PE, CEP: 50.050-540)

Sextas, Sábados e Domingos de Novembro

Sempre às 20h

 

Aguardamos vocês!

 

Segunda Pele prepara estréia!

Segunda Pele prepara estréia!

Categories: ,   By ,   0 Comments,  

 

No início de Novembro o Coletivo Lugar Comum estreia sua mais nova criação: o espetáculo Segunda Pele, que explora as relações entre roupas, identidades e movimentos.

Aí vai a foto de um dos ensaios para deixar vocês [email protected]

Aguardem novidades em breve!

Coletivo aprova projetos

Categories: ,   By ,   0 Comments,  

O Coletivo Lugar Comum acaba de aprovar três projetos no FUNCULTURA.

Os projetos contemplam respectivamente a realização de um encontro de Contato Improvisação; uma série de oficinas e grupo de estudos sobre Voz e Movimento; e a itinerância regional da noite de performances Corpos Compartilhados.

Estamos felizes por conseguir contemplar a maioria das linhas de ação em que o Coletivo vem atuando nos últimos anos.

Aguardem notícias sobre estes e outros projetos em breve aqui no site!

Coletivo no Seminário Interseções (UFPE)

O Coletivo Lugar Comum apresenta no dia 22/09 a noite de performances “Corpos compartilhados” no encerramento das atividades do Seminário Interseções – Corpo e Memória, realizado pela Associação Reviva/Acervo RecorDança na UFPE.  As apresentações acontecem na casa Mecane.

Coletivo no Projeto Modos de Existir (SESC-SP)

 

O evento vai movimentar o SESC Santo Amaro (SP) dos dias 28 de agosto a 02 de setembro unindo coletivos de criação artística em dança de todo o Brasil. O pernambucano Coletivo Lugar Comum foi convidado para participar da programação artística, com a Noite de Performances Corpos Compartilhados, no próximo dia 28 de agosto e também coordena a última mesa de debates da programação, dia 02 de setembro.

 

            A partir desta terça (28), coletivos de criação artística em dança de várias partes do Brasil se reúnem em São Paulo, na programação do Projeto Modos de Existir, do SESC Santo Amaro. De acordo com a organização, o projeto pretende discutir as várias maneiras de existir da dança e como ela habita o espaço cultural. Estas discussões terão como ponto de partida a produção de dança contemporânea por meio de apresentações, encontros, workshops e debates, levando em consideração a diversificação das formas de produção da dança como linguagem artística nos aspectos criativo e econômico. O encontro que começa nesta terça corresponde ao primeiro módulo do programa, focado nos coletivos. A ideia é ainda este ano, em novembro, reunir as companhias e grupos.

            Além do Coletivo Lugar Comum (PE), participam o Coletivo O12 (SP), Dimenti (BA), Agregado de Artistas (SP), Couve-flor (PR), Sala 209 (RS), Núcleo do Dirceu (PI), Coletivo de Criação (MG) e Micheline Torres (RJ). Durante uma semana, de 28/08 a 02/09, haverá encontros provocativos com debates abertos e entrada gratuita sempre às 15h. A cada tarde um grupo vai coordenar a mesa. O Coletivo Lugar Comum encerra a programação dos Encontros Provocativos com o tema “Mobilidade como vantagem e desvantagem”, discutindo o artista do coletivo e a possibilidade de atuar em vários espaços e com várias pessoas ao mesmo tempo, no domingo, dia 02 de setembro.

            Todas as noites haverá apresentações abertas ao público. O Coletivo Lugar Comum será o primeiro a se apresentar, com o trabalho Corpos Compartilhados, na terça (28), às 21h. O espetáculo conquistou o prêmio do público no último Janeiro de Grandes Espetáculos, no Recife.

A Noite de Performances Corpos Compartilhados é composta por quatro solos de dança: Topografias do Feminino, solo de Liana Gesteira; OSSevaO (que é a expressão “o avesso” escrita ao contrário), de Silvia Góes; Pé de Saudade, de Maria Agrelli e Valsa.me, de Cyro Morais. Os trabalhos foram criados por integrantes do Coletivo Lugar Comum a partir de um pensamento de performance e têm em comum a proposta de dançar em seus corpos as memórias e vivências, nossas e dos outros que nos habitam. Com uma disposição cênica que prioriza a aproximação com o público, os Corpos Compartilhados proporcionam uma noite intimista e sensorial, compartilhando com todos os presentes ideias e sentimentos, memórias e criações. O Coletivo Lugar Comum é formado por 12 artistas: Maria Agrelli, Renata Pimentel, Roberta Ramos, Paloma Granjeiro, Luciana Raposo, Cyro Morais, Conrado Falbo, Priscilla Figueiroa, Silvia Góes, Liana Gesteira, Renata Muniz e Juliana Beltrão.

(Mais informações sobre o evento do SESC Santo Amaro em http://santoamaroemrede.wordpress.com/modos-de-existir ou em www.sescsp.org.br).

 
Oficina com Paulo Mantuano (RJ)

Oficina com Paulo Mantuano (RJ)

Categories: ,   By ,   0 Comments,  

Considerado uma das principais referências no desenvolvimento e divulgação da técnica do Contato Improvisação no Brasil nos últimos anos, Paulo Mantuano (RJ) esteve no Recife neste mês de agosto e realizou, no Centro Cultural Correios, uma oficina promovida pelo Coletivo Lugar Comum em parceria com a Faculdade Angel Vianna.

Formado em dança pela Escola Angel Vianna em 1989, Paulo Mantuano inclui o Contato Improvisação em seu processo de ensino e criação a partir de 1994 e desde então a técnica se torna o seu principal elemento na abordagem do movimento tanto didaticamente como em performances. Entre os principais grupos que participou em Contato Improvisação estão o formado por diversos profissionais com supervisão de Bruce Curtis, norte-americano que participou das origens nos anos 70 do C.I. e o Núcleo Com Tato, cujo objetivo foi a pesquisa, reciclagem e divulgação da técnica no Rio de Janeiro, nos anos 90, formado por ele, Fernando Neder e Guto Macedo.

A técnica do C.I. consiste num trabalho em dupla, ou em grupo, em que o peso e contrapeso são a chave para o movimento acontecer, de forma improvisada, mas consciente, na relação entre corpos.